7 formas de trabalhar a ambição de um jogador de futebol

Cabe essencialmente aos dirigentes e, acima de tudo, aos treinadores, trabalhar a ambição de um jogador de futebol. No entanto, convém desde já esclarecer que quando se fala de ambição devemos ter em conta principalmente a motivação, ou seja, o processo psicológico que o jogador deve empreender no sentido de realizar as suas reais ambições. Neste artigo apontamos 7 estratégias que os responsáveis devem seguir, no sentido de estimular a ambição e o conjunto de motivações que um jogador de futebol deve seguir, de forma mais nítida e prioritária na idade de formação.

1. Estabelecer metas a curto prazo

Todo o crescimento de um jovem enquanto praticante de futebol deve seguir determinadas etapas bem definidas, de forma a evitar saltos que por vezes são nefastos, por exemplo quando o jogador passa diretamente dos Sub-17 para os chamados seniores. Este tipo de promoções pode ter consequências negativas, pelo que a sua progressão deve obedecer a objetivos e metas racionais, estabelecidas para o curto prazo.

2. Seguir o jogador desde muito jovem para melhor projetar a sua carreira

As ambições legítimas e racionais devem ser geridas com toda a atenção desde o início da carreira do atleta. Para isso, o jovem deve ser acompanhado desde tenra idade para que não caia num dos dois extremos que geralmente são fatais: as ambições desmedidas por falta de humildade e a falta de motivação que pode comprometer toda a carreira.

3. Nunca deixar o jovem jogador inativo

Há momentos de abaixamento de forma ou de forte concorrência no plantel assim como períodos de recuperação de lesões ou de castigo que causam longas fases de inatividade que podem ter efeitos enormes na motivação do atleta. Assim, é essencial mantê-lo ativo, por exemplo recorrendo a empréstimos.

4. Evitar ambições desmedidas, não confundindo sonhos com quimeras

Um dos maiores bloqueios ao crescimento de um jovem atleta é a falta de humildade. É muito importante que os responsáveis evitem essa situação, para que o jovem nunca confunda a ambição legítima com sonhos irrealizáveis que depois resultam em fortes e desmotivantes desilusões.

5. Fazer refletir essas ambições nas cláusulas contratuais

Um dos maiores erros que os dirigentes cometem é estabelecer cláusulas de rescisão demasiado altas que, regra geral, têm dois efeitos nefastos: diminuem as hipóteses de uma transferência que seria favorável ao jogador e, por outro lado, criam na mente do atleta uma ideia falsa de “estrelato”.

6. Utilizar jogadores antigos ou mais velhos do clube como exemplo

Numa fase inicial da carreira é importante que o jovem tenha modelos a seguir. Por isso, os dirigentes devem sempre cultivar a imagem dos jogadores históricos do clube que funcionem como modelos, para aumentar a motivação dos jovens.

7. Trabalhar continuamente a motivação no interior do clube, de preferência com um departamento de psicologia

O clube deve ter na sua estrutura interna profissionais capazes de trabalhar os aspetos psicológicos do plantel e um dos aspetos mais importantes é a gestão da ambição dos jogadores.

A sua votação: 
0
Sem votos